Restaurantes e centros comerciais ganham mais horas de funcionamento já este fim-de-semana

Centros comercias e lojas em geral podem estar abertos até às 21h durante a semana, mas ganham mais algumas horas, até às 19h, aos fins-de-semana.

Foto
Rui Gaudencio

A quarta fase de desconfinamento de Portugal continental traz boas notícias para o sector da restauração e do comércio, tendo conseguido, como reivindicavam, que as medidas se apliquem já a partir deste sábado, 1 de Maio, o que permite “apanhar" o Dia da Mãe. Mas em todas as expectativas se concretizam.

O anúncio feito pelo primeiro-ministro traz um alargamento de horários de funcionamento dos restaurantes aos fins-de-semana em 27o concelhos continentais (há oito que se mantêm com regras diferentes), que passam a estender-se até 22h30, que já era o limite à semana.

O número de pessoas por grupo (mesa) aumenta dentro do que estava previsto, passando de quatro para seis no interior dos estabelecimentos e de seis para 10 pessoas nas esplanadas.

 A lotação de estabelecimentos para a realização de casamentos e baptizados passa a estar limitada a 50% do espaço.

No comércio não alimentar há alargamento de horários também aos fins-de-semana. A medida, que afecta directamente todas as lojas, mas alivia sobretudo as regras para o comércio especializado e os centros comerciais, estende o horário até às 19h (quando era até às 13 até agora), mantendo-se o encerramento às 21h durante a semana.

Ainda na área do comércio, uma medida que abrange particularmente os super e os hipermercados, a venda de bebidas alcoólicas pode ser feita até às 21h, mais uma hora face à limitação actual. O sector da distribuição tem contestado a proibição, considerando que não faz sentido com a abertura dos restaurantes e estabelecimentos similares, mas esta e outros limites continuam a ser desbloqueados a “conta-gotas”, como tinha avisado António Costa.

Uma das reivindicações do sector do comércio, e que não foi contemplada, pelo menos na apresentação de António Costa, prendia-se com o aumento rácio de pessoas por metro quadrado. O limite actual é de cinco pessoas por cada 100 metros quadrados e assim deverá continuar.

A Ahresp, associação do sector de restauração e similares, congratula-se com as mediadas aprovadas pelo Governo, e “apela a todos os empresários e a todos os clientes que continuem a ser escrupulosos no cumprimento das regras e boas práticas ao nível das medidas de protecção e combate à pandemia”. Reforçando que “na actual situação, a irresponsabilidade de poucos pode prejudicar o bem de todos”.<_o3a_p>