PSD avança para revisão constitucional, PS vai a jogo

BE e PCP estão satisfeitos com a actual Constituição, mas admitem participar para a “defender” e apontam as dificuldades à regionalização como a mancha da revisão de 1997.

Foto
Momento em que Marcelo toma posse, jurando fazer cumprir a Constituição Nuno Ferreira Santos

Passaram 24 anos desde a última revisão geral (profunda) da Constituição e, para o PSD, está na hora de abrir um novo processo. O PS não pretende ter a iniciativa, mas assume que está disponível para participar no debate e dar contributos. À esquerda dos socialistas, BE e PCP alinham na ideia de que não há “razão premente” para alterar a Lei fundamental embora se mostrem igualmente disponíveis para a discussão. <_o3a_p>