Covid-19 em Portugal: mais quatro mortes e 636 casos. Número de internados desce para valores de Setembro

Há menos duas pessoas internadas, menos seis no cuidados intensivos. O país permanece na “zona verde” da matriz que guia o desconfinamento: R(t) nacional fixa-se nos 0,98 e a incidência a 14 dias por cem mil habitantes fixa-se em 72,7 novos casos.

Foto
A matriz de risco que guia o desconfinamento DGS

O número de doentes internados com covid-19 em Portugal voltou a diminuir esta quarta-feira (e pelo terceiro dia consecutivo). O país tem, esta quarta-feira menos duas pessoas que necessitam de cuidados hospitalares por causa da doença, num total de 395 que ainda estão internadas. Este indicador desceu, agora, para valores que já não eram registados desde Setembro: no dia 8 desse mês, 391 pessoas estavam internadas em hospitais portugueses.

Já o número de doentes em cuidados intensivos é o mais baixo dos últimos cinco dias. Há menos seis doentes nestas unidades nesta quarta-feira, num total de 104.

Portugal registou quatro mortes e 636 novos casos de covid-19. No total, desde o início da pandemia, o país soma 832.891 casos confirmados e 16.956 vítimas mortais. Os dados, referentes à totalidade do dia de quarta-feira, foram divulgados nesta quinta-feira pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o último boletim da DGS, existem também mais 521 pessoas recuperadas, num total de 791.171 recuperações desde Março de 2020. Feitas as contas, há mais 111 casos activos, o que significa que 24.764 portugueses ainda lidam com a doença. Há 22.436 contactos em vigilância pelas autoridades, mais 755 do que no último balanço.

Os valores da matriz de risco que guia o desconfinamento são iguais aos desta quarta-feira uma vez que são actualizados apenas nos boletins das segundas, quartas e sextas-feiras.

Na terça-feira, o país voltou a transitar para a “zona verde” da matriz. Agora, segundo os últimos dados, o indicador R(t) (o índice de transmissibilidade da doença) nacional fixa-se nos 0,98, mas analisando apenas Portugal Continental este indicador sobe para 0,99. Já a incidência a 14 dias por cem mil habitantes fixa-se em 72,7 novos casos se for considerado todo o país. O continente regista um valor ligeiramente abaixo: 68,9 novas infecções por cem mil habitantes.

São estes dois indicadores que ditam o avanço (ou recuo) das diversas fases do desconfinamento. Se os indicadores permanecerem na área verde, ou seja, se o índice de transmissibilidade continuar abaixo de 1 e a incidência abaixo de 120, o desconfinamento poderá avançar, mas se o país chegar à zona amarela ou vermelha, a reabertura da sociedade e da economia poderá ser travada ou revertida.

Enquanto a maior parte do país avançou, na segunda-feira, para a terceira fase do plano de desconfinamento, seis concelhos não transitaram para o nível seguinte e quatro deram um passo atrás. Estes dez municípios registaram, em duas avaliações consecutivas, um índice de transmissibilidade superior a 1 e uma incidência de novos casos por 100 mil habitantes superior a 120.

Norte com 42% dos novos casos

Duas das vítimas mortais que figuram na última actualização tinham mais de 80 anos e as outras duas tinham entre 70 e 79 anos. Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas, 8907 são homens e 8049 são mulheres. Das 16.956 pessoas que morreram até à data de covid-19 em Portugal, 11.160 tinham acima de 80 anos, o que corresponde a 65,8%.

Grande parte dos novos casos foi registada no Norte (269 novos casos, cerca de 42,2%, e duas mortes) e em Lisboa e Vale do Tejo (203 novas infecções, o que corresponde a 31,9%, e uma morte). O Norte continua a ser a região com o maior número de casos acumulados: há 334.515 casos confirmados e 5333 mortes. Lisboa e Vale do Tejo é a segunda: são 315.278 os registos de infecção e 7189 mortes por covid-19 — e é a região do país com mais vítimas mortais.

O Centro contabiliza 118.294 infecções (58 novas) e 3009 mortes (uma em 24 horas). O Alentejo totaliza 29.655 casos (30 novos) e 970 mortes (nenhuma em 24 horas). No Algarve, há 21.475 casos de infecção (mais 37) e 356 óbitos (zero em 24 horas). A Madeira regista 9053 casos de infecção (17 novos) e 68 mortes (nenhuma em 24 horas). Já os Açores registam 4621 casos (mais 22) e 31 mortes (zero em 24 horas).