Jardins Efémeros regressam com música de Lyra Pramuk e arte de João Louro

O evento multidisciplinar acontecerá de 3 a 11 de Julho em Viseu. Entre os primeiros nomes adiantados estão ainda o espanhol Suso Saiz e o norueguês Bendik Giske.

Foto
Lyra Pramuk

A nona edição do evento multidisciplinar Jardins Efémeros vai regressar a Viseu de 3 a 11 de Julho, mas com alterações espaciais devido à pandemia. O centro histórico da cidade tem sido o seu habitat natural, mas em 2021 os espectáculos acontecerão no Parque Aquilino Ribeiro.

Esta quinta-feira ficaram a conhecer-se alguns dos artistas escalados para os Jardins Efémeros de 2021. No campo da música e da arte sonora, foi revelado que o compositor, músico e produtor espanhol Suso Saiz irá estar pela primeira vez em Portugal, apresentando um espectáculo que resultará de uma residência artística no Teatro Viriato com o músico electrónico português André Gonçalves, também conhecido pela sua actividade de criação de sintetizadores modulares.

Quem também se apresentará em estreia em Portugal será a música e produtora americana Lyra Pramuk, a residir em Berlim, figura das vanguardas electrónicas que trabalha a voz de forma imaginativa, como se constata ouvindo álbuns como o magnífico Fountain (2020), criado inteiramente a partir de vocalizações, embora muitas vezes moldadas e estruturadas por motivos electrónicos.

Outro nome adiantado foi o do artista e saxofonista Bendik Giske, norueguês a residir em Berlim há muito tempo que, segundo a comunicação para a imprensa, “usa a fisicalidade, a vulnerabilidade e a resistência como ferramentas de expressão.” Em Viseu, estará também o colectivo Sereias, do Porto, enquanto nas artes visuais a organização avança a presença de João Louro, com a criação de uma escultura de grande escala que será colocada nos jardins do Parque Aquilino Ribeiro, intitulada Tesserato. Um serviço educativo para crianças e três chamadas de artistas para as áreas das artes visuais e da música, apenas para nomes emergentes (devendo as candidaturas ser entregues até 18 de Maio), foram também comunicados.

Organizados pela Pausa Possível – Associação Cultural e de Desenvolvimento, os Jardins Efémeros são financiados pelo município de Viseu e pela Direcção-Geral das Artes. A organização espera, em 2022, já poder regressar ao centro histórico de Viseu. A última vez que o evento aconteceu foi em 2018. Em 2019 existiu uma pausa por falta de verbas e em 2020, devido à pandemia, não se realizou.