“Sofrimento extremo e sequelas irreversíveis”: mais quatro instrutores dos Comandos acusados noutro curso

Pontapés, murros, chapadas, chicoteamento com uma silva e um recruta que relata que lhe bateram com a cabeça no chão até que houvesse sangue. A procuradora do Ministério Público fala de “instintos sádicos” e escreve que a intenção dos arguidos era “fazer sofrer as vítimas”.

Foto
Cerimónia no Regimento dos Comandos em Agosto de 2017 com militares destacados para a missão da ONU na República Centro Africana

Mais quatro instrutores dos Comandos foram acusados de abuso de autoridade por ofensas à integridade física, à semelhança do que aconteceu com os 19 militares do Curso 127 que estão a ser julgados desde 2018 no Campus da Justiça em Lisboa.