Estados Unidos à procura da liderança na luta contra as alterações climáticas

O Presidente norte-americano, Joe Biden, convidou 40 líderes mundiais para uma cimeira digital sobre o clima, que decorre esta quinta e sexta-feira. O sucesso do encontro dependerá da vontade de alguns dos principais emissores de gases com efeito de estufa melhorarem os seus compromissos quanto à redução dessas emissões durante esta década.

xi-jinping,sociedade,ambiente,china,clima,alteracoes-climaticas,
Fotogaleria
Mike Hutchings/REUTERS
xi-jinping,sociedade,ambiente,china,clima,alteracoes-climaticas,
Fotogaleria
Mike Hutchings/REUTERS

Há apenas cinco meses, quando se oficializava a saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris, parecia impossível pensar que o país estaria hoje a posicionar-se para se bater pela liderança no combate às alterações climáticas. Mas a vitória do democrata Joe Biden mudou as regras do jogo e, além de voltar a integrar o país naquele acordo, o Presidente convocou a Cimeira de Líderes sobre o Clima, que se realiza esta quinta (Dia da Terra) e sexta-feira, por via digital. Espera-se que os Estados Unidos anunciem que pretendem reduzir em pelo menos 50% as emissões de gases com efeito de estufa (GEE), mas há dúvidas sobre se os outros 40 países responderão ao apelo para que aumentem também a sua ambição a este nível.