Forças Armadas: o sentido da reforma

Se a não fizermos agora a reforma, arriscamo-nos a preparar as nossas Forças Armadas para as guerras do passado, mas não para as guerras do futuro.

A reforma da estrutura superior das Forças Armadas tem sido objecto de debate na imprensa portuguesa. Um debate, porém, muito técnico e difícil de acompanhar pela opinião pública em geral. Um debate entre personalidades militares muito qualificadas, mas que não tem mobilizado a sociedade. Não é este o tempo nem o lugar para discutir as questões técnicas, mas há uma questão que interessa a todos nós cidadãos e que todos podemos perceber: se o sentido da reforma vai ou não ao encontro do interesse nacional.