Execuções no mundo voltam a cair em 2020, mas Egipto triplicou o número de mortos

No ano passado, foram executadas pelo menos 483 pessoas, refere a Amnistia Internacional no seu mais recente relatório sobre a pena de morte no mundo. Falta saber os números da China, que podem ascender aos milhares.

Foto
Protesto contra as execuções federais em Terre Haute, Indiana, em Dezembro de 2020 TANNEN MAURY/EPA

A Amnistia Internacional (AI) anunciou que foram executadas pelo menos 483 pessoas em 2020, o número mais baixo em pelo menos dez anos e uma descida de 26% em relação a 2019. De acordo com o seu relatório anual sobre a pena de morte no mundo, divulgado nesta quarta-feira, foram 18 os países que, em 2020, continuaram a aplicar a pena capital.