Biden: veredicto do caso George Floyd é um “passo gigante” para mais justiça nos EUA

Presidente dos EUA reagiu à decisão judicial que culpou o ex-polícia Derek Chauvin por três crimes pelo homicídio do cidadão afro-americano e assumiu que o “racismo sistémico é uma mancha” no país.

Foto
Joe Biden, Presidente dos EUA Doug Mills / EPA

Joe Biden, Presidente dos Estados Unidos, afirmou na terça-feira à noite (madrugada desta quarta-feira em Portugal continental) que o veredicto que declarou o ex-polícia Derek Chauvin culpado pelo homicídio do cidadão afro-americano George Floyd é um “passo gigante” para mais justiça nos Estados Unidos, mas assumiu que “o racismo sistémico é uma mancha na alma da nação” norte-americana.

“Não há nada que alguma vez possa trazer um irmão ou um pai de volta, mas isto pode ser um passo gigante em frente na marcha por mais justiça na América”, disse Biden, num comunicado televisivo, sublinhando o sentimento partilhado por muitos norte-americanos de que o sistema judicial foi finalmente capaz de responsabilizar adequadamente os autores deste tipo de crimes.

Chauvin foi considerado culpado dos três crimes de que foi acusado, depois de ter pressionado o pescoço de Floyd com um joelho durante mais de nove minutos, em Maio do ano passado, em Mineápolis, numa detenção relacionada com a compra de cigarros com uma nota falsa de 20 dólares. 

O momento foi gravado em vídeo e a sua rápida propagação pelas redes sociais e canais noticiosos deu origem a uma onda de protestos nos EUA e em todo o mundo, transformando Floyd e a frase que repetiu várias vezes até perder os sentidos — “I can’t breathe” (“Não consigo respirar”) — em símbolos da luta contra a violência policial e o racismo nos EUA.

O anúncio do veredicto foi celebrado na terça-feira à noite por centenas de pessoas em Mineápolis, no estado do Minnesota, depois de vários dias de enorme tensão por receio de uma decisão judicial entendida pela opinião pública como injusta.

“Foi um homicídio em plena luz do dia, que arrancou as vendas dos olhos para todo o mundo ver. O racismo sistémico é uma mancha na alma da nação”, afirmou Joe Biden.

Na mesma linha, a vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, também lamentou “o longo historial que os Estados Unidos têm de racismo sistémico”, em que muita gente considera algumas pessoas “menos humanas” do que outras. “Hoje somos mais conscientes desse racismo por causa do milagre da tecnologia”, enfatizou.

As três acusações validadas pelo tribunal de Mineápolis foram as seguintes: uma por homicídio em segundo grau, por causar a morte de Floyd sem intenção, mas com a consciência de que estava a provocar-lhe danos corporais graves; outra por causar a morte de Floyd, também sem intenção, mas como consequência de o expor a uma situação de perigo iminente; e uma terceira por agir de forma negligente e causar a morte de Floyd.

A sentença será conhecida daqui a cerca de dois meses e o antigo agente policial permanecerá detido até lá.

A acusação de homicídio em segundo grau pode ditar uma pena máxima de 40 anos de prisão, embora nos casos em que não há antecedentes seja mais comum ser uma pena entre os dez e os 15 anos de prisão. Já o crime de homicídio em terceiro grau tem uma pena máxima de 25 anos de prisão e a acusação menos grave tem uma pena máxima de dez anos.