São precisos mais 1700 profissionais para os centros de vacinação. Câmaras estão a contratar

Municípios já começaram a fazer ajustes directos para a contratação de enfermeiros para os seus centros de vacinação. Lisboa assinou contrato no valor de mais de 1,6 milhões de euros.

Foto
Nelson Garrido

Para a operação de vacinação em massa contra a covid-19 poder entrar em velocidade de cruzeiro no início de Maio, com a inoculação de pelo menos cem mil pessoas por dia em média, é necessário contratar mais cerca de 1700 profissionais para reforçar a força de trabalho dos centros de saúde que tem estado a assegurar toda a campanha de imunização no país até à data. Elaboradas pelas administrações regionais de saúde (ARS) em conjunto com os agrupamentos de centros de saúde (ACES) e a task force para o plano de vacinação, as últimas estimativas indicam que vai ser preciso contratar mais cerca de mil enfermeiros, 140 médicos e 570 auxiliares para apoio geral nos centros de vacinação, mas faltam ainda os números finais de uma ARS, apurou o PÚBLICO.

A verdade faz-nos mais fortes

Das guerras aos desastres ambientais, da economia às ameaças epidémicas, quando os dias são de incerteza, o jornalismo do Público torna-se o porto de abrigo para os portugueses que querem pensar melhor. Juntos vemos melhor. Dê força à informação responsável que o ajuda entender o mundo, a pensar e decidir.

Para a operação de vacinação em massa contra a covid-19 poder entrar em velocidade de cruzeiro no início de Maio, com a inoculação de pelo menos cem mil pessoas por dia em média, é necessário contratar mais cerca de 1700 profissionais para reforçar a força de trabalho dos centros de saúde que tem estado a assegurar toda a campanha de imunização no país até à data. Elaboradas pelas administrações regionais de saúde (ARS) em conjunto com os agrupamentos de centros de saúde (ACES) e a task force para o plano de vacinação, as últimas estimativas indicam que vai ser preciso contratar mais cerca de mil enfermeiros, 140 médicos e 570 auxiliares para apoio geral nos centros de vacinação, mas faltam ainda os números finais de uma ARS, apurou o PÚBLICO.

A carregar...