Grândola abre novo abrigo de observação de aves na Lagoa de Melides

A aposta de Grândola na admiração das aves continua: é o segundo abrigo na área da lagoa, um ponto especial de residência e passagem de aves migratórias. Já foram avistadas mais de 180 espécies por aqui.

fugas,verao,alentejo,setubal,turismo,ambiente,
Fotogaleria
O novo abrigo CM Grândola
fugas,verao,alentejo,setubal,turismo,ambiente,
Fotogaleria
Lagoa de Melides CM Grândola
fugas,verao,alentejo,setubal,turismo,ambiente,
Fotogaleria
O concelho está a criar novos percursos, a requalificar antigos CM Grândola

Em 2017, Grândola abriu o primeiro abrigo de observação de aves na Lagoa de Melides. Agora, redobra a aposta: este sábado foi oficialmente inaugurado o segundo abrigo na zona. 

Já aberto ao público, o novo abrigo surge, refere a autarquia, da “necessidade” sentida devido à importância que assume a prática de birdwaching” no local e “com vista a incentivar esta prática”.

A Lagoa de Melides é um dos mais significativos pontos de residência e passagem de aves migratórias, “consistindo um dos mais importantes ecossistemas do concelho”. Segundo as notas da autarquia, por estes lados já se registou a “observação de mais de 180 espécies de aves”.

“Este abrigo tem uma importância redobrada para o nosso concelho, na medida de divulgar e sensibilizar as pessoas para a biodiversidade deste local, como também tem o objectivo de a nível turístico permitir o combate à sazonalidade”, comentou Carina Batista, vereadora do Turismo de Grândola, citada em comunicado.

O abrigo está localizado na zona do parque de Melides do Clube de Campismo de Lisboa. “Estamos a falar do maior respeito pela natureza, tal como o campismo desportivo”, disse o presidente do clube, Luís Duarte, que considerou ser uma oportunidade de abrir o espaço à população residente e visitante”. Duarte avançou ainda uma novidade: está prevista a criação de um Eco Camping em “protecção total com a natureza”, resume a nota da autarquia.

O novo abrigo integra o projecto em execução Valorização do Património Natural – Percursos Pedestres, financiado em 75% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional – FEDER, Portugal 2020, “com o valor de 245.665,56€ (+ IVA), com conclusão da execução desta candidatura prevista até final de 2021”, informa a câmara. O projecto e a candidatura destinam-se à “valorização do produto Turismo de Natureza no território": vêm aí novos percursos pedestres, requalificação e requalificação de existentes – são cerca de 150 quilómetros de passeios –, introdução de  geocaching, e mais área de descanso e abastecimento.