Barragens da EDP só teriam de ser reavaliadas com alargamento das concessões

O valor das barragens vendidas à Engie só teria de ser reavaliado se houvesse um pedido de modificação das concessões. Se assim fosse, a responsabilidade seria das Finanças, diz Matos Fernandes. Ajustes à taxa de recursos hídricos podem vir a ser aplicados às barragens de Miranda, Picote e Bemposta.

Foto
O ministro do Ambiente, Matos Fernandes, no lançamento do concurso público para a construção de uma nova ponte sobre o rio Douro Nelson Garrido

O Ministério do Ambiente e da Acção Climática entende que as barragens do Douro que a EDP vendeu à Engie em Dezembro, por 2,2 mil milhões de euros, só teriam de ser avaliadas caso o negócio incluísse uma modificação aos termos da concessão, como um pedido de alargamento do prazo.