Descoberta nova espécie de insecto na Madeira

Com esta descoberta, a Madeira passa a somar sete espécies de cixídeos, dos quais seis são endémicos.

Foto
A nova espécie Cixius wollastoni European Journal of Taxonomy

Dois membros da Universidade da Madeira publicaram um estudo numa revista europeia revelando a existência de uma nova espécie de insecto no arquipélago, o Cixius wollastoni, anunciou a academia regional esta terça-feira.

“Énio Freitas e Dora Aguin-Pombo, membros da Universidade da Madeira (UMa), publicaram recentemente um estudo na revista European Journal of Taxonomy em que revelam a existência de uma nova espécie de insecto, lê-se na informação disponibilizada. O documento explica que a denominação dada à nova espécie é “em reconhecimento a Thomas H. Wollaston, um pioneiro no estudo da fauna entomológica da Madeira”.

Segundo a academia regional, “até à data, os estudos publicados sobre os cixídeos do arquipélago da Madeira eram fragmentários” e em “algumas espécies as descrições estavam ainda incompletas e/ou eram baseadas num pequeno número de espécimes”.“Os dados sobre a ecologia e distribuição eram também escassos e baseados em trabalho de campo que datam de 40 anos”, complementa-se.

Com a descoberta do Cixius wollastoni, “a Madeira passa a somar sete espécies de cixídeos, dos quais seis endémicos, juntando-se assim a Tenerife, com o maior número de espécies endémicas da Macaronésia”.

Para os investigadores, “ter um amplo conhecimento sobre a taxonomia, a informação e distribuição do habitat é essencial para a conservação da biodiversidade deste rico arquipélago”. Neste estudo, os autores fazem “um relato completo da taxonomia dos cixídeos da Madeira com base em espécimes de museus e material recolhido em trabalho de campo, realizado na Ilha da Madeira e nas Ilhas Desertas (Ilhéu Chão e Deserta Grande)”, enfatiza-se.

No comunicado acrescenta-se que, sendo “algumas destas espécies muito raras ou a viver em áreas muito restritas, Énio Freitas e Dora Aguin-Pombo pretendem apresentar em breve medidas para a sua conservação”. Ainda se salienta que o trabalho dos dois investigadores “regista, pela primeira vez, a ocorrência de Pentastiridius leporinus na Madeira, e disponibiliza uma descrição detalhada e ilustrada de todas as espécies, incluindo a recém-descoberta, bem como uma chave de identificação para esta família dos insectos.