FC Porto e Nacional com margem de erro quase nula

Os “dragões” precisam de vencer para continuarem a seis pontos do Sporting, enquanto os madeirenses tentam fugir à “lanterna vermelha”.

Foto
O FC Porto defronta o Nacional da Madeira sem margem de erro LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO

Terminada a aventura europeia com uma vitória amarga, mas merecida, frente ao Chelsea em Sevilha, o FC Porto pode, pela primeira vez na época, concentrar-se em exclusivo numa competição. Derrotados nas meias-finais da Taça da Liga e Taça de Portugal, os “dragões” disputam hoje na Madeira (17h30, SPTV1) a primeira de oito “finais” na I Liga e, após o triunfo do Sporting em Faro, a margem de erro para os portistas é quase nula: qualquer ponto perdido pode hipotecar as possibilidades de reconquistar o campeonato. Do outro lado, com um currículo de oito derrotas consecutivas, o Nacional começa a ficar sem luz ao fundo do túnel.

O afastamento da Liga dos Campeões a meio da semana com um triunfo reforçou mais um desempenho meritório do FC Porto na elite do futebol europeu, mas, no regresso à realidade interna, as possibilidades de os portistas terminarem a temporada 2020/21 com títulos começam a desvanecer.

Após conquistarem dois importantes balões de oxigénio com os empates consecutivos do líder Sporting, o FC Porto vai entrar esta tarde, na Choupana, a nove pontos do “leões”, que já venceram na jornada 27, e com a possibilidade de deixarem o Benfica a seis de distância, e Sérgio Conceição reconheceu na antevisão do confronto com o Nacional que “à medida que caminhamos para fim, diminuem os jogos e a importância e o peso dos mesmos são grandes”.

“Não dependemos de nós. Vamos fazer tudo para ganhar os oitos jogos, a começar por amanhã [domingo] que é uma partida muito importante para nós”, começou por sublinhar o técnico do FC Porto, que garantiu que não olha para o cenário que tem pela frente até Maio: “Já falei muito do calendário, cada equipa adapta-se e prepara-se da melhor forma face aos jogos que tem pela frente. O calendário é o que é. Queremos ser muito competentes nos oito jogos que faltam, principalmente já no próximo.”

Garantindo que não define “o onze em função do calendário”, porque o importante é o que os jogadores “podem dar para cada jogo”, Conceição desvalorizou o actual momento do adversário - “a diferença do último para o 10.º é de sete pontos, o que não é muito” – e brincou com as últimas exibições de Taremi: “Nos dois jogos em que foi para o banco, marcou. Que maravilha.”

Se o FC Porto precisa dos três pontos para não comprometer a luta pelo título, o Nacional precisa dos três pontos para não ficar mais perto de regressar à II Liga. A atravessar a pior fase da época, os madeirenses não melhoraram com a troca de treinador na jornada 24 e, após sofrer duas goleadas por 5-1 contra o Portimonense e Santa Clara, Manuel Machado diz ter a “esperança num bom dia” contra os campeões nacionais.

Na antevisão da recepção aos portistas, o experiente técnico referiu que os madeirenses têm a “consciência que a posição na tabela não é confortável”, mas garantiu que o Nacional não vai atirar a toalha ao chão: “"Faltam 24 pontos para serem jogados e é atrás deles que corremos. A possibilidade de reverter esta posição está no nosso horizonte e é com essa motivação que trabalhamos, do ponto de vista anímico.”