Há um lugar na nossa cultura gastronómica para o peixe maturado: o lixo

Num país de peixe fresco e bacalhau seco como é Portugal temos o direito de chamar as coisas pelos nomes: é a revolução do peixe velho.

Foto
Rui Gaudêncio

O desconforto começou quando li o livro de Josh Niland. O cretino do Jamie Oliver, que à custa de não ser mau rapaz estabeleceu um império de salganhadas provincianas, achou que era uma obra-prima.