Directores de faculdades que não sejam professores vão ganhar 2500 euros por mês

Governo acaba com vazio legal com 13 anos e clarifica o vencimento a atribuir a dirigentes que estão fora das carreiras académicas. Problema foi suscitado pela eleição do antigo Director-Geral das Artes Samuel Rego para a direcção da Escola Superior de Dança de Lisboa.

Foto
Daniel Rocha

Os directores de faculdades que não sejam professores universitários vão receber um vencimento de cerca de 2500 euros brutos mensais, o equivalente ao terceiro patamar mais elevado das carreiras académicas. Esta foi a solução encontrada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) para acabar com um vazio legal que existia há 13 anos. A possibilidade de personalidades externas dirigirem instituições do sector estava prevista na lei, mas o seu salário não estava definido.