Mas será que ninguém pensa no pobre Luxemburgo?

O Luxemburgo pode muito bem defender-se sem os impostos foragidos dos outros, enquanto abusa dos serviços de secretismo nas contas bancárias que estimulam a opacidade da economia legal e atraem também a ilegal.

Disse aqui na quarta-feira que era um prazer discordar do Francisco Mendes da Silva numa discussão substantiva, e mantenho — ainda para mais quando essa discussão é sobre um dos temas mais importantes da nossa atualidade, os impostos que as multinacionais não pagam.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários