Aves mais protegidas: fabrico, posse e venda de armadilhas perto da proibição

Três de quatro iniciativas legislativas que surgiram na sequência de uma petição pública vão agora ser tratadas na Comissão do Ambiente, Energia e Ordenamento do Território

Foto
Os piscos-de-peito-ruivo são apanhados para serem comidos, como petisco DR

Há mais de vinte anos que é proibido capturar ou caçar aves selvagens em Portugal, mas continua a ser permitido fabricar, possuir ou vender as armadilhas que são utilizadas para esse fim. Esta quinta-feira, a Assembleia da República deu um primeiro passo para alterar esta situação, ao aprovar a passagem para a Comissão do Ambiente, Energia e Ordenamento do Território de três das quatro propostas que surgiram na sequência de uma petição, promovida pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA). A expectativa dos promotores é que o processo seja rápido.