Primeiras doses da vacina da Johnson & Johnson já chegaram a Portugal – e mais cedo do que o previsto

Mesmo depois de ser anunciado atraso na entrega, tranche com 31.200 doses chegou na tarde desta quarta-feira. Agência Europeia de Medicamentos estuda casos que motivaram recomendação de suspensão nos Estados Unidos.

Foto
Reuters/Dado Ruvic

Mesmo com o atraso na entrega das vacinas anunciado pela Johnson & Johnson na terça-feira, a verdade é que as primeiras 31.200 doses deste fármaco chegaram a Portugal esta quarta-feira, algumas horas antes do agendamento previsto. 

No início da semana, o calendário de entregas apontava para a chegada da primeira tranche de vacinas da Janssen, uma subsidiária da Johnson & Johnson que desenvolve este fármaco, na madrugada desta quinta-feira. Seriam 31.200 doses da primeira vacina que requer apenas uma inoculação, com as vacinas a saírem da Bélgica na terça-feira, no mesmo dia em que a Johnson & Johnson anunciou um atraso na entrega de vacinas na Europa. Mesmo com esta comunicação, os camiões que fizeram o transporte das vacinas realizaram o trajecto até Portugal, mais concretamente até ao centro logístico localizado em Montemor-o-Velho.

Estas vacinas ficam agora armazenadas nos próximos dias, não sendo ainda claro o destino que lhes será dado. Por enquanto, não há qualquer directiva europeia que impeça a administração deste fármaco, apesar de a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) estar a analisar os problemas detectados nos Estados Unidos. 

Registaram-se seis casos de pessoas que desenvolveram problemas raros de coágulos sanguíneos após serem inoculadas com a vacina, algo que motivou a recomendação da suspensão do fármaco pela agência norte-americana do medicamento, a Food and Drug Administration (FDA). Já foram administradas 6,8 milhões de doses nos Estados Unidos da vacina desenvolvida pela Janssen. Contam-se ainda outras nove milhões de doses no país em armazenamento à espera de serem utilizadas.

Todos os casos raros manifestaram-se em mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e os 48 anos. Uma destas mulheres afectadas morreu em resultado destas complicações e outra está hospitalizada em estado crítico. 

A vacina foi aprovada pela EMA a 11 de Março. A Comissão Europeia acordou com a Janssen a compra de 200 milhões de doses este ano, com uma opção de compra de 200 milhões de doses adicionais. Esta quarta-feira surgiram notícias na imprensa italiana de que o organismo europeu não faria novo contrato com a Johnson & Johnson e com a AstraZeneca.

Esta informação não foi confirmada, mas a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, adiantou esta quarta-feira que será adiantada a entrega de 50 milhões de doses da vacina da BioNTech/Pfizer para o segundo trimestre deste ano. Está ainda a ser gizado um terceiro contrato com esta fabricante: até final de 2023, a União Europeia poderá receber 1,8 mil milhões de doses adicionais. 

Até ao final do ano, Portugal tem contratualizadas 4,5 milhões de doses da vacina da Janssen, não sendo certo ainda o impacto que este atraso poderá ter em entregas futuras. É algo que a própria Comissão Europeia tenta esclarecer junto do grupo norte-americano, depois de ter sido surpreendida pelo anúncio da Johnson & Johnson.