Um José Sócrates de exportação

O leitor da Folha, que até nem costuma ser desatento, é capaz de se lembrar que a esquerda portuguesa, longe de decapitada, tem governado e tido maiorias parlamentares em Portugal, independentemente do Processo Marquês.

Tal como previsto, o país está a braços com um exame de consciência sobre a justiça e a política — o país todo, menos José Sócrates, que publicou ontem na Folha de São Paulo um artigo de opinião sobre como “a Operação Marquês foi a Lava Jato portuguesa”, uma “vigarice judicial” tendo por objetivo “impedir uma candidatura a Presidente” da República da sua parte e “beneficiar a direita política e atingir a esquerda”, “o que impediu o Partido Socialista de ganhar as eleições em 2015”.