Pandemia ameaça remessas para países que mais dependem delas

Crise está a afectar, um pouco por todo o mundo, os rendimentos dos imigrantes e a limitar a sua capacidade para enviar dinheiro de volta aos seus países.

Foto
Redução das remessas enviadas para os países em desenvolvimento pode repetir-se este ano Reuters/Thomas Mukoya

Portugal, quando se olha para o aumento de 1,6% registado nas remessas para fora do país feitas por imigrantes em 2020, parece ser para já uma excepção, mas as perspectivas para o globo são as que a pandemia, uma crise sanitária com consequências económicas nunca vistas e especialmente graves para os sectores mais frágeis da população, conduza a uma redução das remessas enviadas para os países emergentes e em desenvolvimento, aqueles que mais dependem destes fluxos nas suas economias.