Covid-19 em Portugal: mais seis mortes e 566 casos de infecção

Há cerca de um mês que não se registavam tantos casos a um sábado, desde o dia 6 de Março quando se contaram 682. Mantêm-se 466 pessoas internadas em Portugal, das quais 113 se encontram em unidades de cuidados intensivos.

Portugal registou no sábado mais seis mortes e 566 infecções pelo novo coronavírus. Foi o sábado com mais casos desde o de 6 de Março, quando foram contabilizados 682 —, de acordo com o boletim da Direcção-Geral da Saúde (DGS) publicado neste domingo.

No total, há ainda 466 doentes hospitalizados, dos quais 113 estão em cuidados intensivos — menos seis do que no dia anterior.

Desde o início da pandemia, em Março de 2020, o país soma 827.494 casos confirmados e 16.916 vítimas mortais. Há, também, mais 410 pessoas recuperadas este sábado, num total de 784.618.

Subtraídos os óbitos e os recuperados ao número total de infecções, resultam, então, 25.960 casos activos em Portugal, mais 150 do que no dia anterior. Há 17.742 contactos em vigilância pelas autoridades, mais 335 do que no último balanço.

A maioria dos casos confirmados divide-se entre a região de Lisboa e Vale do Tejo, com 200 novas infecções, e o Norte, com mais 182. Os restantes foram contabilizados no Centro (mais 62), no Algarve (33) e o Alentejo (16). A Região Autónoma dos Açores soma mais 41 casos e na Madeira foram detectados 31. 

Foram registadas quatro mortes na região de Lisboa e Vale do Tejo, e duas no Norte. Das cinco vítimas masculinas, duas tinham entre 60 a 69 anos, duas entre 70 a 79 e uma mais de 80 anos. A vítima do sexo feminino tinha mais de 80 anos. Segundo o relatório da DGS, do total de óbitos registados, 8886 são homens e 8030 são mulheres, sendo que 11.143 tinham acima de 80 anos, o que corresponde a 65,8% do total.

Os números da taxa de incidência e do índice de transmissão foram actualizados na sexta-feira. Estes dados são actualizados às segundas, quartas e sextas.

De acordo com a última análise, a incidência a nível nacional fixa-se nos 65,7 casos por cada 100 mil habitantes, e nos 63,8 no continente. O índice de transmissibilidade, o R(t), é de 1,02, tanto no continente como no todo nacional.