Pascal Soriot está no centro do furacão da AstraZeneca – conseguirá resistir-lhe?

É a vacina contra a covid-19 de que mais se fala, mas por motivos negativos. Conhecido por ter recuperado a farmacêutica, o patrão da AstraZeneca tem uma tarefa árdua para reconstruir a imagem da vacina e da empresa.

Foto
A resistência à OPA da Pfizer sobre a AstraZeneca, em 2014, deu um grande poder a Pascal Soriot Win McNamee/Getty Images

Pascal Soriot é o homem no centro do furacão da AstraZeneca, a farmacêutica cuja vacina contra a covid-19 parece perseguida por uma nuvem negra de azar. Mas o que dizem observadores da companhia anglo-sueca é que muitos dos problemas se devem a uma comunicação tortuosa com os seus clientes, que acabou por minar a confiança na vacina. E um excesso de confiança da empresa num executivo que passou a confundir-se com a própria empresa, depois de lhe ter dado um novo fôlego, preservando a sua independência face a uma OPA.