Max Richter: “É preciso uma reflexão sobre o que nos fez chegar a este ponto e pensar para onde queremos ir”

Depois de se inspirar na Declaração dos Direitos Humanos, um dos compositores e pianistas mais celebrados do nosso tempo, capaz de inspirar emoção e contemplação, regressa com VOICES 2. “Um lugar de reflexão, para imaginarmos onde queremos ir”, diz.

Foto
Mike Terry

O compositor e pianista Max Richter é incapaz de criar música sem que exista uma ideia maior a norteá-la. No final do ano passado inspirou-se numa adaptação do texto da Declaração Universal dos Direitos Humanos para compor o álbum VOICES (2020), que foi difundido por mais de 40 rádios nacionais pelo mundo inteiro, no dia dos Direitos Humanos, a 10 de Dezembro.

Sugerir correcção
Comentar