Escolas vão continuar encerradas em São Miguel por “precaução”

Na maior ilha dos Açores todos os estabelecimentos de ensino continuarão encerrados. O número de casos tem vindo a aumentar, mas a medida é preventiva, realça o governo regional.

Foto
rui pedro soares

As escolas na ilha de São Miguel, a maior dos Açores, irão continuar encerradas e o ensino permanecerá à distância. O governo regional tinha decidido, a 18 de Março, antecipar as férias da Páscoa, e prometido reavaliar a reabertura das escolas após esse período. Esta quinta-feira, o secretário regional Saúde, Clélio Meneses, anunciou que todos os estabelecimentos de ensino irão continuar encerrados por “prevenção” pelo menos durante mais uma semana.

“Mantém-se, excepcionalmente, o ensino à distância para todos os estabelecimentos de São Miguel. Esta medida é uma medida que não decorre directamente dos níveis de risco associados a cada concelho”, afirmou o responsável político da saúde no governo de coligação PSD/CDS/PPM, na conferência de imprensa semanal dedicada à pandemia.

Face à avaliação por concelhos feita no arquipélago, a ilha de São Miguel tem, actualmente, dois concelhos na situação de alto risco de contágio, ou seja, com mais de 100 novos casos por 100 mil habitantes: Nordeste e Vila Franca do Campo. Contudo, disse Clélio Meneses, “considerando um conjunto de circunstâncias” foi entendido que as escolas, tal como as creches e os ATL’s, deveriam ser encerrados em toda a ilha.

“Isso tem a ver com a perspectiva de que o governo [regional] sempre defendeu de prevenção, de precaução, é melhor acautelarmos antes de haver alguma situação incontrolável que cause muito maiores danos à população, à sociedade, à economia, às pessoas”, afirmou Clélio Meneses.

Os Açores têm 186 casos activos, sendo 185 em São Miguel: 79 em Ponta Delgada, 56 em Vila Franca do Campo, 33 em Nordeste, 11 na Ribeira Grande, cinco na Lagoa, e um no concelho da Povoação. O outro caso do arquipélago está na ilha de Santa Maria. Apesar de longe do máximo de casos activos, 916, atingido a 18 de Janeiro, a região tem vindo a registar um aumento do número de infectados: há uma semana eram 125 casos activos e há um mês 89. Desde o início da pandemia foram registados 4.324 casos de covid-19 nos Açores e 30 pessoas morreram.

Medidas para voltar a ter uma situação “estável”

Os números levam São Miguel a estar a “poucos casos” de ser uma ilha de alto risco, sobretudo devido à disseminação da estirpe inglesa – todas as outras ilhas do arquipélago estão no patamar de muito baixo risco. “Imagine-se o que não teria sido se não tivéssemos tomado as medidas da Páscoa…”, atirou o governante, recordando que durante aquele período existiu confinamento obrigatório das 15h às 5h e limitação de circulação entre concelhos.

Também em toda a ilha de São Miguel vão estar suspensas as competições desportivas nos escalões de formação. As restantes medidas diferem por concelho. Em Vila Franca do Campo e Nordeste, de alto risco, os bares e restaurantes vão encerrar às 15h (podendo funcionar em take-away a partir daí), o teletrabalho é obrigatório, o comércio não essencial encerrará às 20h e a circulação está proibida das 20h às 5h durante a semana e das 15h às 5h ao fim de semana.

Nos outros quatro concelhos de São Miguel, Ponta Delgada, Lagoa, Povoação e Ribeira Grande, de médio risco, os bares e restaurantes vão encerrar às 20h, está proibida a venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h e suspensa a presença de público em eventos desportivos ou culturais. “Que com esse tipo de comportamentos mais rigorosos e contidos possamos voltar àquilo que tivemos há muito pouco tempo atrás com uma situação praticamente estável”, concluiu.