Macron vai fechar a ENA, a escola que já formou quatro presidentes franceses

A escola é criticada por formar uma elite de líderes que não está apta para entender os verdadeiros problemas da sociedade. Macron quer vê-la fechada e substituí-la por um novo instituto, mais adequado e acessível aos socialmente desfavorecidos.

Foto
A entrada da Escola Nacional de Administração em Paris YOAN VALAT/EPA

A principal grande escola francesa, onde têm sido educadas gerações de líderes da França, incluindo o próprio Emmanuel Macron, está para fechar ainda este ano e ser substituída por uma escola mais aberta, diversa e menos “elitista”. Os detalhes da reforma da alta função pública estavam para ser oficialmente anunciados pelo Presidente Emmanuel ​Macron esta quinta-feira.