FMI alerta contra cortes bruscos nos apoios às economias

Fundo baixa previsão de crescimento em Portugal durante este ano, para 3,9%, menos que a média da zona euro, de 4,4%. E alerta que, no momento da retoma, será preciso saber encontrar um “equilíbrio delicado” entre a retirada dos apoios públicos e a necessidade de segurar a economia

Foto
Reuters/YURI GRIPAS

No momento em que a pandemia ficar resolvida e as medidas extraordinárias de ajuda às empresas e famílias começarem a ser retiradas, os governos devem evitar criar “precipícios bruscos” no nível de apoio público que é dado, se não quiserem correr o risco de sofrerem impactos negativos de longo prazo significativos nas suas economias.