LG deixa negócio dos telemóveis

Empresa coreana toma decisão após seis anos em que acumulou prejuízos próximos de quatro mil milhões de euros

Foto
Rafael Marchante

Após seis anos de perdas avultadas no seu negócio de fabrico de telemóveis, a coreana LG decidiu abandonar este segmento de mercado, deixando ainda maior espaço para as empresas líderes Samsung e Apple reforçarem o domínio que têm exercido nos últimos anos.

De acordo com a agência Reuters, a LG anunciou, num encontro com analistas, que iria fechar o seu negócio de venda de smartphones a partir do próximo dia 31 de Julho, com os funcionários dedicados a essa área (que representa 7% do volume de negócios da empresa) a serem transferidos para outras áreas. A LG irá continuar a prestar apoio técnico aos clientes e actualizações de software por um período de tempo que variará de continente para continente.

A empresa coreana vinha há já seis anos a registar prejuízos no seu negócio de fabrico e vendas de telemóveis, com as perdas acumuladas durante esse período a ascenderem aos 4,5 mil milhões de dólares (cerca de quatro mil milhões de euros). Neste momento, de acordo com a Reuters, a LG conta com uma quota de 2% no mercado mundial de telemóveis, mas, ainda assim, ocupa posições de relevo em alguns continentes. Na América do Norte, é a terceira marca mais vendida, com cerca de 10% de quota, ao passo que na América Latina está no quinto lugar.

Será especialmente nestes mercados que, agora, se irá assistir a uma luta entre os outros fabricantes para ocupar o lugar que a LG irá deixar vago. De acordo com os analistas, o segmento médio/baixo em que a LG é mais forte dá à também coreana Samsung e às marcas chinesas de telemóveis oportunidade de reforçarem as suas vendas.

Com esta decisão, a LG torna-se na primeira grande fabricante de telemóveis a abandonar o mercado. Outras empresas de relevo, como a Nokia ou a Blackberry também perderam grande parte da sua quota de mercado, mas não desapareceram por completo.