A caminho dos Óscares, guilda dos actores escolhe Os 7 de Chicago, Chadwick Boseman, Viola Davis e a diversidade

O que significa uma vitória nos prémios do Screen Actors Guild? Para já, que pela primeira vez um serviço de streaming obteve a mais importante distinção em jogo e que nenhum dos actores vencedores é branco. Para os Óscares, é fazer as contas. Ou não.

Foto
Chadwick Boseman (à esquerda) e Viola Davis (ao centro), premiados pelo SAG Netflix

O caminho parece longo (e é) e as possibilidades parecem alargar-se (talvez). A 20 dias dos Óscares, a Guilda dos Actores (Screen Actors Guild, SAG na sigla inglesa original) escolheu os seus eleitos nesta que se configura como a mais longa temporada de prémios da história do cinema. E os eleitos são Os 7 de Chicago, como filme com Melhor Elenco, Chadwick Boseman e Viola Davis como melhores actores principais, e Youn Yuh-jung e Daniel Kaluuya como melhores intérpretes secundários. Nenhum dos actores é branco, uma alínea histórica nos registos do sindicato. Na televisão, The Crown e Schitt’s Creek continuam na sua senda de vitórias.