Presidente da República, PSD e Governo manifestam pesar pela morte de Almeida Henriques

O ex-presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, assinala com tristeza o facto de o autarca ter desaparecido em dia domingo de Páscoa, que deveria de ser de “exaltação da vida”.

Foto
LUSA/RUI OCHÔA

O Presidente da República, a direcção do PSD e o Governo manifestaram pesar pela morte de António Almeida Henriques, presidente da câmara de Viseu, vítima de covid-19.

Numa nota publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa deixa uma mensagem de “profundo pesar” pela morte do autarca social-democrata. “É com profundo pesar que o Presidente da República evoca o amigo e companheiro de muitas lides António Almeida Henriques. Homem bom, dedicou a sua vida a Viseu e a Portugal, como autarca, como deputado nacional e europeu, como membro do Governo. Deixa obra e deixa saudades, lembrando-nos de como esta doença, que nos assola, é terrível e nos apanha assim, de surpresa e desprevenidos, deixando a meio tanto que ainda tinha a dar aos seus concidadãos. É uma morte que nos lembra como somos frágeis e como é importante levar a sério esta pandemia do nosso descontentamento”, lê-se na nota.

O PSD, partido no qual Almeida Henriques militava desde os anos 1980, manifestou também “grande consternação” pela morte do autarca. “Num ano particularmente difícil para todos os portugueses, é com profundo pesar que os sociais-democratas vêem partir Almeida Henriques, um autarca dedicado. A direcção do PSD, na figura do seu presidente, expressa a toda a família o seu mais sentido pesar nesta hora”, num comunicado publicado no site do partido.

O deputado e ex-presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, lamenta com “profundo pesar” a morte de Almeida Henriques e assinala com tristeza o facto de ter desaparecido em dia domingo de Páscoa, que deveria de ser de “exaltação da vida”. “É uma coincidência complicada”, regista Fernando Ruas. 

Numa curta declaração ao PÚBLICO, o deputado do PSD, que presidiu durante 24 anos à Câmara de Viseu, diz que o concelho perdeu a “pessoa mais importante” e que o “sentimento” pela sua morte é “tristeza acrescida”. ”Almeida Henriques era um homem de família e, do ponto de vista político, uma pessoa de convicções que as defendia convictamente”, acrescentou o ex-autarca social-democrata. 

Uma outra figura social-democrata, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro, declarou que “a democracia e o poder local” estão “de luto” e que o PSD fica “mais pobre” com o desaparecimento de Almeida Henriques.

“A democracia está de luto, o poder local está de luto e o PSD fica irremediavelmente mais pobre”, afirmou, em declaração enviada à agência Lusa.

Montenegro, de quem Almeida Henriques foi apoiante nas eleições directas para a liderança dos sociais-democratas contra o actual presidente, Rui Rio, em Janeiro de 2020, lamentou a partida “um grande amigo, um homem bom”.

“O António era uma referência da visão social-democrata de organização social, económica e política. Teve um desempenho notável como deputado, secretário de Estado e autarca, para além de uma vida associativa marcante na área económica. Foi um embaixador das empresas e do reforço da capacidade produtiva de Portugal. É uma perda enorme para Viseu, para Portugal e para o PSD”, acrescentou.

Da parte do Governo, a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e o secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho, endereçaram “ao município de Viseu e à família e amigos os sentidos pêsames”.

Num comunicado conjunto, os governantes recordam o autarca como “um homem que dedicou a vida à causa pública e ao interesse nacional”, seja como deputado à Assembleia da República e como secretário de Estado e, mais recentemente, como presidente da Câmara Municipal de Viseu e vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

Os deputados do CDS-PP salientam que Almeida Henriques “foi também deputado em várias legislaturas e membro do Governo de coligação PSD/CDS-PP”, elogiando o seu “empenhamento, competência, lealdade e afabilidade”. “Perdemos um amigo”, lê-se na nota assinada pelo líder parlamentar Telmo Correia.

O Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, recebeu a notícia da morte de Almeida Henriques com “grande consternação” e destacou a “longa carreira de serviço público” do autarca. 

*com Margarida Gomes