Na Lisboa sem turistas, Abdus trocou os souvenirs por mercearias

Comunidade do Bangladesh em Lisboa agarra-se ao que pode para sobreviver à crise económica da pandemia. Muitos deixaram de pagar rendas e dependem de empréstimos de amigos. Outros saíram de Portugal para países europeus ou para umas longas férias na terra natal.

Foto
Abdus Samad na sua loja

Quando Abdus Samad se mudou do Reino Unido para Lisboa, em 2015, alguns dos seus compatriotas tinham entrado recentemente num negócio que parecia uma autêntica árvore das patacas. Com a cidade cheia de turistas, florescia o comércio de ímanes, postais, galos de Barcelos e todo o tipo de lembranças lusas. Ainda não era o porta sim, porta sim que mais tarde se verificou e Abdus viu em Lisboa a oportunidade para finalmente melhorar a sua vida.

Sugerir correcção
Comentar