Lisboa: Lost In, o “shanti” de que andamos a precisar

Não é uma novidade de Lisboa, antes uma decana que se foi expandindo com o tempo e cedo se tornou referência entre as melhores esplanadas da cidade. Regressa agora, com novos pratos e cocktails.

restauracao,sup-fugas,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
O Lost In, no Príncipe Real, reabre a 5 de Abril Rui Gaudêncio
restauracao,sup-fugas,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Entre as novidades, uma margarita de melão Rui Gaudêncio
restauracao,sup-fugas,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Três novas saladas Rui Gaudêncio
restauracao,sup-fugas,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Ao centro, a nova entrada: bife tártaro em crocante de hóstia de camarão, maionese de wasabi e alga noori Rui Gaudêncio

O primeiro artigo publicado na imprensa sobre o Lost In saiu na Fugas poucos meses depois de abrir, recorda-nos António Bastos ao primeiro encontro. “Lembro-me que já fazia frio.” Na esplanada, as mesmas cadeiras e cadeirões de ferro colorido, os chapéus-de-sol de tecidos étnicos e o mural de uma divindade indiana que depressa se tornou ícone fotogénico do espaço, ainda o Instagram dava os primeiros passos. O terraço ainda estava vazio e tantas vidas teve até se erguer a estrutura robusta que hoje nos recebe ao descermos o túnel de acesso a estas traseiras da artéria principal do Príncipe Real.