No Vaticano, as "cruzes" das crianças foram carregadas pelo Papa

Nesta Sexta-feira Santa foram as crianças a escrever as intenções das 14 estações da Via Sacra de Roma. Ao contrário de 2020, a celebração no Vaticano contou com a presença de alguns fiéis e os mais pequenos foram os protagonistas da cerimónia.

EPA/GREGORIO BORGIA / POOL
Fotogaleria
EPA/GREGORIO BORGIA / POOL

A tradicional Via-Sacra de Roma, presidida pelo Papa Francisco na noite desta Sexta-feira Santa, foi este ano centrada nas crianças. Em representação dos mais pequenos de todo o mundo, numa Praça de São Pedro mais pintada de pessoas do que em 2020, as intenções das 14 estações da Via Sacra foram escritas por crianças, dando conta das suas preocupações. Os autores dos textos foram os mesmos que carregaram a cruz no Vaticano.

No chão, foram colocadas tochas que traçavam o caminho em direcção à Basílica, pelas 14 estações colocadas ao redor do obelisco, formando uma grande cruz luminosa. A cada etapa do calvário, estava um desenho e uma oração. A penúltima meditação pintou a realidade de mais de um ano de pandemia de covid-19 e contou a dor de uma criança que perdeu o avô devido à doença.

Saudados pelo Pontífice no final, os mais pequenos que escreveram os recados — em representação de todas as crianças do mundo — pertencem a dois agrupamentos de escuteiros, dois lares para crianças desfavorecidas e uma instituição que acolhe crianças com deficiência. 

Ao contrário deste ano, em 2020 a oração do Papa Francisco foi silenciosa, também na Praça de São Pedro devido à pandemia de covid-19. Tradicionalmente realizada no Coliseu de Roma, a Via Sacra contou, na altura, com um único grupo de pessoas que se revezaram no momento de carregar a Cruz, que o Papa segurou na última estação. 

EPA/VATICAN MEDIA HANDOUT
Reuters/VATICAN MEDIA
Reuters/VATICAN MEDIA
Reuters/VATICAN MEDIA
Reuters/POOL
EPA/GREGORIO BORGIA / POOL
EPA/GREGORIO BORGIA / POOL
EPA/ANGELO CARCONI / POOL
Reuters/POOL
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/POOL
Reuters/POOL
Reuters/POOL
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Em 2020, o Papa Francisco celebrou a Via Sacra numa Praça de São Pedro sem fiéis devido à pandemia
Em 2020, o Papa Francisco celebrou a Via Sacra numa Praça de São Pedro sem fiéis devido à pandemia EPA/Andrew Medichini / POOL
Em 2020, o Papa Francisco celebrou a Via Sacra numa Praça de São Pedro sem fiéis devido à pandemia
Em 2020, o Papa Francisco celebrou a Via Sacra numa Praça de São Pedro sem fiéis devido à pandemia Reuters/YARA NARDI
Em 2020, o Papa Francisco celebrou a Via Sacra numa Praça de São Pedro sem fiéis devido à pandemia
Em 2020, o Papa Francisco celebrou a Via Sacra numa Praça de São Pedro sem fiéis devido à pandemia EPA/Andrew Medichini / POOL
O Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo a partir da praça de S. Pedro em 2020, completamente vazia
O Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo a partir da praça de S. Pedro em 2020, completamente vazia REUTERS/GUGLIELMO MANGIAPANE
O Papa dentro da Basílica de S. Pedro em 2020
O Papa dentro da Basílica de S. Pedro em 2020 EPA/YARA NARDI
O Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo a partir da praça de S. Pedro em 2020, completamente vazia
O Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo a partir da praça de S. Pedro em 2020, completamente vazia EPA/VATICANO
O Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo a partir da praça de S. Pedro em 2020, completamente vazia
O Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo a partir da praça de S. Pedro em 2020, completamente vazia EPA/YARA NARDI
Sugerir correcção