Marcelo começou o segundo mandato “com o pé esquerdo”

Três antigos assessores presidenciais, de diferentes quadrantes políticos, criticam a “ofensiva” política do actual chefe de Estado no plano constitucional, em plena pandemia e num momento em que não tem uma alternativa no Parlamento.

Foto
MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA

As referências políticas são diferentes, mas a análise de três antigos assessores de diferentes Presidentes da República é a mesma: Marcelo Rebelo de Sousa “escolheu mal” o momento e o terreno político para fazer um braço-de-ferro com o primeiro-ministro, ao promulgar diplomas de apoios sociais aprovados contra a vontade do Governo, e o resultado foi negativo para o inquilino do Palácio de Belém. O segundo mandato “começou com o pé esquerdo” e agora não resta outro caminho a Marcelo senão virar a página e passar adiante. E foi isso mesmo que já começou a fazer.