Frederico Morais entra a vencer no Rip Curl Newcastle Cup

O surfista português ganhou na Austrália a sua bateria na primeira ronda da segunda etapa do Championship Tour 2021, a mais importante competição mundial de surf mundial

Foto
WSL

Mais de três meses depois de John John Florence vencer o Billabong Pipe Masters, a primeira etapa do Championship Tour (CT) 2021, a mais importante competição mundial de surf mundial regressou em Merewether Beach, na cidade australiana de Newcastle, e Frederico Morais começou da melhor maneira a sua participação no Rip Curl Newcastle Cup. O surfista português derrotou na noite desta quarta-feira Jordy Smith e Matt Banting, apurando-se para a ronda seguinte.

Após ter conseguido na costa Norte de Oahu, no Havai, o 17.º lugar ao atingir a terceira ronda - foi afastado pelo australiano Jack Freestone -, Frederico Morais não encontrou em Merewether, que não recebia uma prova desta importância há quase três décadas, as melhores condições - ondas a rondar um metro -, e teve como primeiros rivais Matt Banting, que surfava em casa, e o sul-africano Jordy Smith.

Apesar de admitir que o quarto heat da primeira ronda seria complicado, já que ia defrontar “dois óptimos surfistas”, “Kikas” chegou à Austrália confiante – “Tudo depende de mim. É fazer o meu surf e esperar por um bom resultado” -, e na primeira onda conseguiu uma pontuação de 3.33, marca que superava a onda inicial de Banting e Smith.

Quase de seguida, o surfista de Cascais, que vai representar Portugal nos Jogos Olímpicos de Tóquio, conseguiu ainda melhor em duas ondas quase sucessivas (5.33 e 4.17), colocando a pressão do lado do australiano e do sul-africano.

O primeiro a responder, a meio da bateria, foi Banting, que conseguiu um 4.33, e, pouco depois, Smith pontuou 4.57. Frederico Morais, no entanto, continuava consistente e a cerca de dez minutos do fim fez mais duas boas ondas: 4.90 e 5.60.

A partir daí “Kikas” ficava com a eliminatória na mão, mas Banting e Smith ripostaram: o australiano conseguiu 5.93 e o sul-africano 5.97. A liderança, porém, continuava a ser do português que antes de a bateria terminar ainda fez a melhor onda do heat: 6.67.

No final, Frederico Morais conseguiu o apuramento para a eliminatória seguinte com 12.27 (5.60 e 6.67), ficando Jordy Smith em segundo (11.17) e Matt Banting em terceiro (10.90).

De fora da segunda ronda do CT e das três seguintes, que também serão em solo australiano, estará Kelly Slater. O carismático surfista norte-americano, de 49 anos, que já tem 11 títulos mundiais no currículo, chegou às meias-finais no Billabong Pipe Masters, mas abdicou de viajar para a Austrália por se encontrar a recuperar de lesões nos tornozelos e na anca.

“Desde o Pipe Masters que tenho sofrido um pouco. São problemas recentes e também antigos em ambos os tornozelos, para além de ter uma lesão na anca direita, que me impediram de surfar. É um duro golpe para mim. Adoro a Austrália e tenho imensas saudades das temporadas que passei”, explicou Slater, que nas quatro etapas australianas será substituído por Mikey Wright, o primeiro suplente do CT.