Primeiro-ministro da Eslováquia confirma demissão e troca de pasta

Matovic cede o lugar a Heger e será ministro das Finanças. Foi forçado a abdicar da chefia do Governo por causa de acordo secreto de compra de vacinas russas.

Foto
Igor Matovic (à direita), cede o lugar a Eduard Heger e será ministro das Finanças JAKUB GAVLAK/EPA

O primeiro-ministro da Eslováquia, Igor Matovic, demitiu-se esta terça-feira, abrindo caminho para a formação de um novo Governo. A demissão acontece após uma crise política que durou quase um mês, originada por um acordo secreto para a compra de vacina russa contra a covid-19.

Zuzana Caputova, Presidente eslovaca, mandatou o ministro das Finanças, Eduard Heger, a formar um novo executivo. A transferência de poder foi orquestrada entre Matovic e o seu aliado e parceiro do partido Pessoas Comuns e Personalidades Independentes (Olano).

Os quatro partidos que fazem parte da coligação governamental aceitaram participar na nova equipa, com Heger ao leme, e com Matovic na pasta das Finanças.

O agora ex-primeiro-ministro propôs esta troca aos seus parceiros de coligação, depois de uma série de desentendimentos sobre uma encomenda secreta de dois milhões de vacinas Sputnik V que Matovic fez e que os restantes partidos criticaram duramente.

Matovic defendia que a aquisição de vacinas russas era a solução para relançar o processo lento de vacinação na Eslováquia, um dos países que mais tem sofrido com a última vaga de infecções.

A Agência Europeia de Medicamentos ainda não autorizou, no entanto, a vacina russa.

Ainda assim, a Sputnik V está a ser administrada na Hungria, e outros países europeus também já estão na fase de negociações dos contratos, à margem dos compromissos assinados pela Comissão Europeia e outras farmacêuticas.