Sporting conquista Taça da Liga de futsal

“Leões” bateram o Benfica de forma clara, por 6-2, na final realizada em Sines.

Foto
DR

O Sporting conquistou neste domingo a Taça da Liga de futsal, ao bater de forma clara o Benfica, por 6-2, na final realizada em Sines. Foi a terceira vez que os “leões” conquistaram o troféu, depois dos triunfos em 2016 e 2017, interrompendo uma série de três conquistas consecutivas dos “encarnados”. Em todas as finais anteriores da competição entre os dois rivais de Lisboa tinha sempre levado a melhor o Benfica, mas a história desta final foi bem diferente.

Foi uma partida praticamente de sentido único e distante do equilíbrio que geralmente caracteriza os embates entre os dois gigantes do futsal nacional. Merlim colocou os “leões” em vantagem aos 7’, com Rocha a fazer o 2-0 pouco antes do intervalo, aos 18’. A equipa de Joel Rocha conseguiu algumas situações de finalização, mas Guitta fechou bem a baliza do Sporting, e os “encarnados” não conseguiu funcionar nas situações de cinco para quatro com guarda-redes avançado.

A equipa de Nuno Dias entrou na segunda parte com mais um golo, de Zicky Té, e Pauleta elevou para 4-0 pouco depois, aos 24’. Zicky Té alargou ainda mais o marcador, aos 37’, e só nos últimos minutos é que o Benfica conseguiu reduzir. Mas os dois golos de Silvestre (37’ e 39') pouco fizeram para alterar as contas do jogo e o capitão “leonino”, João Matos, ainda apontou 0 6-2 nos últimos segundos.

No final, Nuno Dias, que já leva nove épocas como treinador do futsal sportinguista e quase duas dezenas de títulos conquistados, elegeu esta Taça da Liga como um dos troféus que mais gozo lhe deu conquistar. “Já tive a felicidade de vencer alguns troféus. Este troféu por norma não é valorizado. Por todas as razões, foi dos que mais gozo me deu vencer. Temos um plantel cheio de limitações, com lesões e com a integração dos miúdos, mas eles merecem, são miúdos com um trajecto enorme pela frente”, declarou o treinador dos “leões”.

Do lado do Benfica, Joel Rocha admitiu que o Sporting foi mais eficaz e competente, mas também considerou que o guardião “leonino” foi o melhor em campo: “Parece-me que o homem do jogo foi o Guitta. O 2-0 ao intervalo parecia-me desajustado, o Benfica fez um jogo proactivo na procura da baliza, mas quando o resultado dispara na segunda parte fica sempre mais difícil entre equipas tão equilibradas.”