Covid-19: 11% da população foi dormir a mais de 100 km de casa na quinta-feira

Na semana entre 22 e 26 de Março, 38% dos portugueses ficou em casa. Índice de mobilidade estabilizou nas últimas duas semanas.

Foto
Na semana de 22 a 26 de Março, 38% dos portugueses ficou em casa Filipa Fernandez

Cerca de 10,7% da população portuguesa passou a noite a mais de 100 quilómetros da sua residência habitual na quinta-feira, dia 25 de Março, de acordo com os dados mais recentes da consultora PSE, especializada em ciências de dados, que refere que este fenómeno está “certamente” relacionado com “as medidas restritivas impostas pelas autoridades para o período da Páscoa”, nomeadamente a proibição de circulação entre concelhos entre a meia-noite desta sexta-feira, dia 26 de Março, e as 23h59 de 5 de Abril. Este valor rondou os 6% a 7% nos dias úteis “mais recentes”, nomeadamente entre 22 e 24 de Março, e os 7,6% e os 7,9% no fim-de-semana passado.

O relatório da PSE, divulgado esta sexta-feira, refere ainda que, analisando apenas os dias úteis, verificámos que o desconfinamento está “estável” nesta semana de 22 a 26 de Março, sendo que 38% dos portugueses ficou em casa, “o que é praticamente igual aos valores anteriores ao início do segundo confinamento”, no início de Janeiro, altura em que a média semanal apontava para 33% da população portuguesa em casa.

Índice de mobilidade estabilizou nas últimas duas semanas

No dia 19 de Março, o índice de mobilidade fixou-se em 99% da “normalidade” pré-pandemia, sendo que este índice corresponde a um indicador em que a base 100 corresponde à mobilidade “normal” antes da pandemia.

A consultora PSE destaca que “os valores da mobilidade cresceram muito desde o início do desconfinamento” e que, nos dias úteis, o índice de mobilidade “tem vindo sempre em crescendo, mas estabilizou nos 87% da ‘normalidade’”, entre os dias 15 e 25 de Março. Significa isto que o índice de mobilidade está “estabilizado nas últimas duas semanas”.

Na terceira semana do ano, entre 18 e 22 de Janeiro, altura em que se iniciou o confinamento com as escolas abertas, o índice de mobilidade estava em 73%, tendo descido depois para 63% entre 25 e 29 de Janeiro, semana em que as escolas encerraram, e voltado a subir entre o final de Janeiro e a segunda quinzena de Março, altura em que começou o desconfinamento. Depois, estabilizou nos 87% conforme referido.

Porém, a PSE alerta que “as recentes limitações impostas para a Páscoa, a contar desde o dia 26 de Março, podem alterar este indicador se os portugueses continuarem, como sempre até aqui, a cumprir genericamente as indicações governamentais”.

O relatório refere ainda que “62% da população está em mobilidade na rua em cada um dos dias úteis e um terço desta população móvel faz mais de 20 quilómetros por dia”.

O estudo da PSE resulta de uma recolha de dados contínua (24 horas por dia) através da monitorização de localização e meios de deslocação, com recurso a uma aplicação móvel, de um painel de 4992 indivíduos representativos da população com mais de 15 anos, residente em Portugal continental. Segundo a consultora, para um universo de 8.883.991 indivíduos residentes nas regiões estudadas a margem de erro é de 1,4% para um intervalo de confiança de 95%.