Costa nega pressão sobre Belém, mas não desiste de travar aumento dos apoios sociais

Munido de um parecer jurídico, o primeiro-ministro está decidido a recorrer ao Tribunal Constitucional, se o Presidente promulgar o aumento de apoios sociais aprovados pela oposição, ao arrepio da norma-travão e abrindo um “precedente gravíssimo”.

Foto
O primeiro-ministro, António Costa, está decidido a recorrer ao Tribunal Constitucional para que a despesa pública não seja aumentada pela oposição LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

O Governo não desiste de travar o aumento dos apoios sociais aprovados pelo Parlamento e o primeiro-ministro, António Costa, está disposto a pedir a fiscalização sucessiva dos diplomas aprovados no Parlamento pela oposição, se este for promulgado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sabe o PÚBLICO.