Gaia lança campanha de adopção de animais — online e em directo no Facebook

É uma “campanha de sensibilização para os animais que estão disponíveis para adopção” no Centro de Reabilitação Animal e quer chegar a tutores responsáveis. O directo realiza-se no Facebook da autarquia no sábado, 27 de Março, às 17h.

Foto
Rui Gaudencio

Para adoptar um animal de estimação é, geralmente, necessário contactar uma associação e agendar uma visita. Mas e se for possível adoptar online, através de um directo no Facebook?

Esta é a mais recente proposta do Centro de Reabilitação Animal de Gaia e da Câmara Municipal e tem como objectivo aumentar a visibilidade dos animais acolhidos nas instalações, promovendo uma adopção responsável e ajustada às necessidades dos animais e do próprio adoptante. “Não é necessariamente uma campanha de adopção em directo, mas sim uma campanha de sensibilização [das pessoas] para os animais que estão disponíveis para adopção”, começa por explicar ao P3 Helena Frias, veterinária do Centro de Reabilitação Animal. E para não incentivar adopções instantâneas ou por impulso, as condições dos candidatos interessados serão posteriormente validadas pela organização.

CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
CM Gaia
Fotogaleria
CM Gaia

Os dez animais — nove cães e uma gata — serão apresentados no próximo sábado, 27 de Março, num directo na página de Facebook da autarquia. E, indica o município em comunicado, estarão “a postos para seduzir os donos” com os seus vídeos de apresentação. Nome, idade, história e as principais características físicas, comportamentais e de socialização serão alguns dos tópicos abordados. “Vamos tentar ser o mais exaustivos possível na descrição do animal e, ao mesmo tempo, as pessoas podem ir colocando questões e comentários e nós tentaremos esclarecer todas as dúvidas”, diz a veterinária.

Quem depois quiser adoptar um dos animais, deve enviar um email para o endereço centroanimal@cm-gaia.pt. Os interessados, que poderão ser de qualquer zona do país, serão contactados no dia útil seguinte, por ordem de chegada da mensagem, “para visitar e conhecer o animal e também responder a um pequeno inquérito pré-adopção para se perceber se têm condições para adoptar e se é o animal mais adequado”, esclarece Helena.

Podem acontecer uma ou várias visitas — tudo depende da pessoa. No momento da entrega do animal é necessário que o futuro tutor traga o equipamento de transporte necessário: caixa transportadora ou cinto de segurança, coleira e trela. O centro oferece as vacinas polivalente e contra a raiva, desparasitação interna e externa, identificação electrónica e esterilização.

Estes são animais que passaram por situações de maus tratos, abandono ou, “em último recurso”, foram deixados no próprio centro pelos antigos tutores que deixaram de ter capacidade para os ter e, como tal, requerem cuidados especiais. “O comportamento é muito importante tanto que é uma das principais causas da devolução ou da não-adaptação do animal”, sublinha a veterinária. Ainda que seja feito um “bom trabalho de socialização” existem questões comportamentais que se manifestam na nova casa e, como tal, o centro não consegue prever como irá correr a adaptação à nova casa. No entanto, dias depois, se o tutor não entrar em contacto com a organização, o próprio centro o fará, com o objectivo de fazer o acompanhamento e saber se existem dificuldades ou qualquer tipo de dúvidas, mesmo a nível de saúde.

Para já, não se conhecem os nomes de todos os animais que serão apresentados no sábado, até porque ainda podem ser adoptados até lá. Mas uma delas será a gata Elsa. Mais informações? “É uma questão de estarem no dia 27 às 17h no Facebook da Câmara e ouvirão a história”, responde a veterinária.

Texto editado por Amanda Ribeiro