Avaliação bancária das casas atingiu novo recorde em Fevereiro

Valor mediano subiu quatro euros, para 1174 euros por metro quadrado, com o número de avaliações a diminuir.

Foto
Miguel Manso

A avaliação bancária na habitação, realizada para efeitos de concessão de crédito, atingiu em Fevereiro um novo máximo histórico. O valor mediano subiu quatro euros, ou 0,3%, para 1174 euros por metro quadrado, face ao mês anterior.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados esta quinta-feira, mostram um crescimento de 5,7% face ao período homólogo, abaixo dos 6,1% verificados em Janeiro.

Embora o ritmo do crescimento homólogo tenho abrandado, o valor dos imóveis continua a aumentar, mesmo quando se verifica a redução do número de avaliações, como mostram os dados do INE: o número de avaliações consideradas ascendeu a cerca de 23 mil, menos 4,1% do que no mesmo período do ano anterior e menos 7,1% do que em Janeiro. 

Como o volume de crédito para compra de casa continua a crescer, isto significa que os portugueses estão a comprar menos casas, mas de valor mais elevado.

A Área Metropolitana de Lisboa, o Algarve e a Região Autónoma da Madeira apresentaram valores de avaliação superiores à mediana do país (33%, 30% e 2%, respectivamente). As regiões da Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela foram as que apresentaram o valor mais baixo em relação à mediana do país (-42%).

Nas moradias, das 8485 avaliações resultou um valor mediano de 975 euros por metro quadrado, o que representa um acréscimo de 5,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Nos apartamentos, as 14.602 avaliações correspondem ao valor de 1291 euros, um aumento de 6,9% relativamente ao mês homólogo.