Escolas com 80 “positivos” em mais de 82 mil testes rápidos

Taxa de positividade foi inferior a 0,1% na primeira semana de testagem após o regresso ao ensino presencial.

Foto
Paulo Pimenta

Os testes rápidos de antigénio realizados durante a semana passada nas escolas do 1.º ciclo e nos estabelecimentos de educação pré-escolar detectaram 80 casos de covid-19 entre professores e trabalhadores não docentes. Após a retoma do ensino presencial, foram testadas 82 mil pessoas ao longo de quatro dias. Ou seja, a taxa de positividade foi inferior a 0,1%, avança o Ministério da Educação.

A percentagem de casos positivos agora registada está em linha com os resultados da primeira fase de testagem nas escolas. O processo tinha arrancado a 20 de Janeiro, antes da interrupção das aulas, e continuou nas escolas de acolhimento durante o tempo de ensino à distância. Nesse período foram feitos mais de 65 mil testes, com uma taxa de casos positivos de 0,15%.

Esta segunda fase de testagem arrancou na terça-feira, um dia depois do regresso às aulas presenciais das crianças do 1.º ciclo e do pré-escolar. Até ao final da semana passada, foram testados todos os trabalhadores docentes e não docentes destes níveis de ensino, tanto no sector público como no privado. O processo de testagem incluiu também os profissionais da “Escola a Tempo Inteiro”, como as Actividades de Enriquecimento Curricular ou as Actividades de Animação e Apoio à Família. Ao todo, foram mais de 80 mil profissionais.

Na semana passada foram também testados os funcionários das creches, tuteladas pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, cujos resultados não são ainda conhecidos.

A segunda fase de testes rápidos nas escolas começa com um primeiro “varrimento a todos os trabalhadores”, como lhe chamou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, quando apresentou o processo, na semana anterior. Estes 80 mil profissionais voltam a ser alvo de testagem, entre 5 e 9 de Abril, mas apenas nos concelhos de Portugal continental com um nível de incidência de casos positivos acima de 120 por 100.000 habitantes.

Na mesma altura, começam a ser testados todos os professores e funcionários não docentes do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, de todos os concelhos de Portugal continental, que retomam as aulas presenciais a partir de 5 de Abril. Este grupo volta a ser alvo de testagem entre 19 e 23 de Abril nos concelhos com maior incidência de covid-19.

A partir de 19 de Abril, quando reabre o ensino secundário, também farão testes os estudantes deste nível de ensino, além do pessoal docente e não docente. O processo é semelhante. Num primeiro momento, que vai até 23 de Abril, são feitos testes em todas as escolas de Portugal continental. Depois, entre 3 e 7 de Maio, o mesmo grupo volta a ser testado, novamente só nos concelhos de Portugal continental com mais casos positivos.