FC Porto defronta o Chelsea nos quartos-de-final da Champions

“Dragões” disputam a primeira mão da eliminatória em casa, a 6 de Abril. Será o nono embate entre as duas equipas na competição.

Foto
Reuters/HANDOUT

O FC Porto vai disputar a primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões em casa, diante do Chelsea, a 6 de Abril. Foi este o resultado do sorteio desta sexta-feira, em Nyon, na Suíça. É um reencontro com um velho conhecido das andanças europeias.

Hamit Altintop, antigo internacional turco e primeiro convidado da cerimónia, apontou o FC Porto como a grande sensação dos quartos-de-final, depois de ter eliminado a Juventus, num encontro que disputou durante um larguíssimo período em inferioridade numérica.

Agora, é o Chelsea a separar os “dragões” da próxima fase da competição, que também já ficou definida. Se o campeão português conseguir ultrapassar os londrinos, irá medir forças com o vencedor do embate entre Liverpool e Real Madrid, nas meias-finais (a 27/28 de Abril e 4/5 de Maio).

Para lá chegar, porém, há uma nova montanha para escalar. Depois de uma primeira metade da temporada cheia de oscilações (e desilusões), o Chelsea conseguiu inverter o rumo com a troca de treinador. Saiu Frank Lampard, entrou Thomas Tuchel (ex-PSG) e, especialmente do ponto de vista defensivo, os “blues” subiram muito de produção.

O técnico alemão chegou a Stamford Bridge no final de Janeiro e, desde então, orientou o Chelsea em 13 partidas (nove vitórias e quatro empates), sem ter somado qualquer derrota e sofrendo somente dois golos. Nos oitavos-de-final, os londrinos afastaram o Atlético Madrid com naturalidade, ganhando em Espanha e em Inglaterra.

Tuchel tem optado por um 3x4x2x1, um sistema que conta com a versatilidade e criatividade de um trio ofensivo de respeito: Hakim Ziyech e Kai Havertz (extremo alemão que custou nada menos do que 75 milhões de euros ao clube) jogam nas costas de Timo Werner, um avançado que tem na mobilidade, na inteligência na procura de espaços e na capacidade de finalização os principais atributos.

Num plantel recheado de talento, N'Golo Kanté é um dos destaques no meio-campo (o pequeno/grande médio francês é determinante sem bola), ao lado de Mateo Kovacic, sendo que as dinâmicas oferecidas por Marcos Alonso e Reece James (ou Azpilicueta) nos corredores laterais também têm sido uma dor de cabeça para os adversários.

Foto
O "onze" do Chelsea no embate com o Atlético Goal.com

FC Porto e Chelsea, de resto, já se encontraram por oito vezes, sempre na Liga dos Campeões. E se o balanço destes confrontos é claramente favorável aos britânicos (cinco vitórias, um empate e duas derrotas), a verdade é que, no último embate entre ambos, no Dragão, foram os portugueses a triunfar (2-1). Era José Mourinho o treinador dos “blues” e Julen Lopetegui o técnico dos “dragões”.

Nessa partida, Jesús Corona, provavelmente o maior talento individual do actual plantel, não saiu do banco, mas se nada acontecer nas próximas semanas (neste intervalo, ainda há jogos com Portimonense e Santa Clara para a Liga), o extremo mexicano deverá ser titular. Ao contrário de Taremi e de Sérgio Oliveira, o grande destaque da eliminatória anterior, ambos a cumprirem um jogo de castigo.