“Mensagens sobre álcool e opiáceos têm de ser reforçadas. Durante e depois da pandemia”

Especialista mundial em doenças do fígado, o cientista Nezam H. Afdhal falou com o PÚBLICO sobre o espantoso feito da descoberta do tratamento que derrotou o vírus da hepatite C e eliminou esta doença crónica, mas também sobre a pandemia que hoje se vive no mundo com um vírus que causa uma infecção aguda.

Foto
DR

A versão de Nezam H. Afdhal sobre a espantosa história da hepatite C que levou à descoberta de um tratamento capaz de curar esta doença envolve um vírus “burro e estúpido”. Com o PÚBLICO falou também do SARS-CoV-2 que considera um vírus “inteligente”, sendo capaz de se socorrer de mutações para sobreviver. Sem um discurso apocalíptico, aponta para o exemplo de sucesso da ciência que os une e também para os muitos traços que separam estes dois vírus. Nezam H. Afdhal reconhece que a concentração de atenção e recursos na covid-19 era inevitável, mas avisa: é preciso reactivar e reforçar os planos que existiam para controlo das outras doenças, como a hepatite C. No caso das doenças do fígado, destaca ainda que é preciso avaliar os danos do aumento do consumo de álcool durante e depois da pandemia.