Megaempreendimento para a Quinta dos Ingleses, em Carcavelos, está em consulta pública

Projecto está em discussão pública até 7 de Abril. É uma proposta que se arrasta há décadas e prevê a construção de um empreendimento num terreno com 51 hectares, junto à praia de Carcavelos.

Foto
Haverá uma ligação pedonal a ligar o empreendimento à Praia de Carcavelos Nuno Ferreira Santos

O megaprojecto previsto para a zona ribeirinha de Carcavelos, situado num terreno conhecido como Quinta dos Ingleses, está em consulta pública no site da Câmara de Cascais até 7 de Abril. Naqueles terrenos, delimitados a norte pela Avenida Tenente Coronel Melo Antunes, a nascente pelas urbanizações do Bairro dos Lombos-Sul e pela Quinta de S. Gonçalo, a sul pela Avenida Marginal e a poente pela Avenida Jorge V, será erguida uma megaurbanização numa área de 51 hectares, com prédios de habitação, equipamentos, um hotel e um parque verde. 

De acordo com a memória descritiva do projecto, que pode ser consultada no site do município, está prevista a construção de um número máximo de 850 fogos em prédios cuja fachada poderá chegar aos 29 metros. A construção dos lotes privados deverá abranger uma área de 23 hectares. Além de habitação, naqueles terrenos está prevista a construção de um hotel com 308 quartos, espaços comerciais, serviços e um espaço empresarial. Estão ainda previstos 1658 lugares de estacionamento público.

O projecto, cujos promotores são a imobiliária Alves Ribeiro e a St. Julian’s School Association, prevê ainda a construção de equipamentos desportivos – um novo centro gímnico e dois campos de futebol –, um novo centro paroquial com centro de dia e um estabelecimento escolar privado.

Para o futuro Parque Urbano de Carcavelos estão destinados cerca de dez hectares. A ideia dos promotores é que haja uma ligação à praia de Carcavelos por uma passagem pedonal inferior. 

Há anos que este projecto vem sendo contestado pela população, que considera este projecto “megalómano” e desadequado ao local, pedindo a sua revisão. Em 2018, o movimento cívico SOS Quinta dos Ingleses lançou mesmo uma petição, que reuniu mais de 7000 assinaturas e que foi entregue e discutida na Comissão de Ambiente da Assembleia da República. No entanto, no relatório elaborado, os deputados desta comissão acabaram por considerar que o Parlamento não teria “competência para se pronunciar” quanto à revogação do Plano de Pormenor do Espaço de Reestruturação Urbanística de Carcavelos - Sul (PPERUCS), remetendo responsabilidades para a câmara de Cascais.

Há décadas que a construção na Quinta dos Ingleses tem sido discutida, sofrendo avanços e recuos. Este megaempreendimento está previsto no PPERUCS, que foi aprovado em 2014 pela Assembleia Municipal de Cascais, possibilitando assim a construção naquele terreno junto à marginal.

Nessa altura, a forma como o PPERUCS foi aprovado envolveu alguma polémica, uma vez que foi o voto da então presidente da junta de freguesia de Carcavelos e Parede, Zilda Costa Silva, que permitiu a viabilização do plano. Essa decisão valeu-lhe depois uma moção de censura aprovada pela Assembleia da União das Freguesias de Carcavelos e Parede, que considerou que a autarca do PSD tinha contrariado três documentos “de pronúncia desfavorável” ao plano, aprovados pela mesma assembleia em Fevereiro e no final de Abril de 2014. 

Há alguma informação que está disponível online, mas o processo digital integral poderá ser consultado integralmente no Departamento de Licenciamento Urbanístico, mediante marcação prévia (910099506). Quem quiser enviar à autarquia contributos sobre o projecto poderá fazê-lo para o email consultapublica.quintadosingleses@cm-cascais.pt ou então por via postal para a Loja Cascais.