Cientistas criaram “imitações” do início de um embrião humano

São dois modelos semelhantes a blastocistos humanos que podem fornecer valiosos dados sobre o desenvolvimento embrionário e servir para novas terapias para casos de infertilidade.

Foto
Imagens de blastocistos humanos Universidade de Monash

A revista Nature publica esta quarta-feira os resultados de dois projectos que conseguiram criar em laboratório estruturas tridimensionais semelhantes a blastocistos humanos (início da formação de um embrião). Na verdade, nem sequer são denominados blastocistos, mas apenas blastóides. Num e no outro caso, são estruturas (criadas a partir de células pluripotentes induzidas) e que podem ser fundamentais para esclarecer as fases mais precoces do desenvolvimento humano, mas que, garantem os cientistas das duas equipas, não têm qualquer hipótese de se desenvolverem para formar um embrião.