“Moderar” a China, investir na Ásia e chamar os EUA – eis a política externa britânica do pós-“Brexit”

Reorientação estratégica do Reino Unido põe a região do Indo-Pacífico no centro do mapa. Revisão da política externa e de Defesa apresentada pelo Governo inclui aumento do arsenal nuclear do país.

mundo,uniao-europeia,diplomacia,defesa,china,reino-unido,
Fotogaleria
Johnson folheia o documento estratégico sobre a revisão da política externa e de Defesa britânica na Câmara dos Comuns de Westminster JESSICA TAYLOR/Reuters,JESSICA TAYLOR/Reuters
mundo,uniao-europeia,diplomacia,defesa,china,reino-unido,
Fotogaleria
O submarino nuclear HMS Vengeance faz parte do programa balístico Trident, desenvolvido na região de Glasgow (Escócia) David Moir/Reuters

Competiu durante vários anos com o “Take Back Control” pelo primeiro lugar da lista de slogans brexiteers mais repetidos e foi propagandeada até à exaustão pelos políticos eurocépticos durante a caminhada britânica até ao divórcio da União Europeia. Esta terça-feira, porém, a expressão “Global Britain” foi finalmente transformada em algo concreto: a maior revisão da política externa e de Defesa do Reino Unido desde o final da Guerra Fria no início dos anos 1990.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários