“Não cometi nenhum crime, não fiz nada de errado. Só queria imigrar para Portugal”

À luz do Estado, imigrantes que queiram trabalhar sem autorização de residência cometeram uma infracção. Mas o Serviço Jesuíta aos Refugiados quer mudar uma lei “incoerente” e “hipócrita”. Se vistos para procura de trabalho existissem, Ihor Homenyuk não tinha sido barrado e morrido há precisamente um ano. Imigrantes contam ao PÚBLICO a sua experiência de detenção.

Foto
Filipa Fernandez

Há mais de 20 anos que Carlos vive em Portugal. Empresário da construção civil, este brasileiro tem neste momento cerca de cinco trabalhadores a seu cargo na zona do Porto e um património que avalia em 100 mil euros. 

Sugerir correcção
Ler 24 comentários