Num mês, Portugal passou de pior a terceiro melhor país da UE em casos de covid-19

Nos últimos 14 dias, Portugal registou uma média de 126 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, segundo o relatório do ECDC. Há um mês, Portugal ocupava a pior posição na Europa, com uma taxa de incidência de 1190.

Foto
Lisboa PEDRO NUNES/Reuters

Portugal é actualmente o terceiro país da União Europeia (UE) com uma menor taxa de incidência da covid-19, de acordo com os dados mais recentes divulgados esta quinta-feira, 11 de Março, pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC, na sigla em inglês).

Nos últimos 14 dias, Portugal registou uma incidência de 126 casos de infecção pelo novo coronavírus por 100 mil habitantes, segundo o relatório do ECDC. Com números mais baixos na UE (considerando apenas os 27 Estados-membros) estão apenas Espanha, com 15 casos por cem mil residentes, e a Dinamarca, com 124. No entanto, o ECDC explica que, a 2 de Março de 2021, foram notificados menos casos acumulados na Catalunha do que nas semanas anteriores devido “à eliminação de casos duplicados”, pelo que a taxa de notificação de casos para a oitava e nona semana do ano “não é representativa da situação actual” em Espanha.

Por outro lado, a República Checa continua a ser o país da União Europeia (e até mesmo do mundo) com maior incidência da covid-19, com 1572 casos por cem mil habitantes. Seguem-se a Estónia (1397), Malta (720), Hungria (646) e a Eslováquia (568).

Já no que diz respeito à Europa, Portugal assume a 13.ª posição na lista de países com menor taxa de incidência. A média europeia ronda agora as 252 infecções por 100 mil habitantes — o que corresponde a um aumento face à semana passada. A lista dos países, a nível mundial, com mais casos por cem habitantes é encabeçada por três países europeus: República Checa, Estónia (1397) e São Marino (1344).

Lisboa tem uma incidência superior ao resto do país

O mapa a cores divulgado pelo ECDC sobre a incidência da covid-19 na União Europeia mostra que Portugal passou a um nível de laranja ainda mais claro, que corresponde a uma taxa de incidência entre os 60 e os 119,9 casos por 100 mil habitantes. Por sua vez, a região de Lisboa e Vale do Tejo é representada com um tom de laranja mais escuro, o que significa que se mantém com uma taxa de incidência superior ao resto do país.

Numa nota que acompanha o mapa, o ECDC esclarece que esta representação a cores tem por base “dados registados uma vez por semana”, pelo que o período de tempo analisado não é o mesmo do que o contemplado nos dados tabelados, “o que pode resultar em valores diferentes na tabela e no mapa” — sendo este o caso de Portugal que, segundo os dados da tabela, apresenta uma taxa de incidência de 126 casos por 100 mil habitantes e no mapa é representado a uma cor que corresponde a um intervalo entre os 60 e os 119,9 casos.

PÚBLICO -
Aumentar

Os dados do ECDC por regiões revelam ainda que a Área Metropolitana de Lisboa regista agora uma incidência a 14 dias de 155 casos por 100 mil habitantes, seguindo-se o Alentejo (com 111), o Algarve (100), o Centro (97) e o Norte (85). Já a Região Autónoma da Madeira contabiliza actualmente 617 casos por 100 mil residentes e os Açores 37.

Na semana passada, Portugal era o quinto país da União Europeia com menos casos de covid-19 por cem mil habitantes e ocupava a 20.ª posição na lista de países com menor taxa de incidência de covid-19 na Europa, com uma incidência a 14 dias de 174 casos de infecção por 100 mil habitantes.

Há 15 dias, pelo contrário, Portugal era o 20.º país europeu com maior taxa de incidência da covid-19, tendo chegado mesmo a surgir, há um mês, em primeiro lugar na tabela ocupando a pior posição na Europa, com uma taxa de notificação de novos casos a 14 dias por cem mil habitantes de 1190.

Portugal desce 20 posições na lista de países com mais mortes

Portugal desceu 20 posições no que diz respeito às mortes por covid-19, ocupando agora o 27.º lugar na lista de países e territórios com maior número de óbitos causados pela doença por milhão de habitantes, nos últimos 14 dias, com 59. Na semana passada, Portugal ocupava o sétimo lugar nesta lista, com 91.

O primeiro da lista é a Eslováquia, com 246 mortes por milhão de habitantes, seguindo-se a República Checa (239), Montenegro (217), Hungria (168) e Mónaco (121), todos na Europa. A média europeia de mortes por milhão de habitantes fixou-se em 53.

De acordo com os dados divulgados pelo ECDC, o número de pessoas hospitalizadas com covid-19 em Portugal voltou a diminuir significativamente no espaço de uma semana. No dia 28 de Fevereiro, estavam internados 2165 doentes, tendo este número baixado para 1414 a 7 de Março.

No que diz respeito à ocupação das unidades de cuidados intensivos, em duas semanas o número de pacientes caiu quase para metade. A 21 de Fevereiro, havia 656 doentes com covid-19 em cuidados intensivos em Portugal, número que baixou para 354 a 7 de Março.

Testagem à covid-19 continua a diminuir

Ao longo das últimas semanas, a taxa de testagem à covid-19 em Portugal tem vindo a descer, um fenómeno que especialistas associam ao confinamento e a uma redução dos contactos sociais. O país regista actualmente uma média de 1649 testes realizados por 100 mil habitantes, segundo dados do ECDC. Na semana passada, Portugal contabilizava 1841 testes realizados por 100 mil habitantes. Durante o mesmo período, a taxa de positividade dos testes à covid-19 desceu de 4% para 3%.

Portugal é o oitavo país da União Europeia que menos testes realizou na última semana. No topo da lista daqueles que mais testaram está o Chipre, com 32.679 testes por 100 mil habitantes, seguindo-se a Áustria (18.558), a Dinamarca (18.196), o Luxemburgo (9834) e a Eslovénia (9641).

Em termos totais, Itália continua a ser o país da União Europeia com maior número de rastreios, somando 2.209.958 na nona semana do ano. França, Áustria, Alemanha e Dinamarca completam a lista dos cinco países com melhor classificação neste indicador.