Depois do olival e do amendoal, multiplicam-se as centrais fotovoltaicas no Alentejo

Na maioria dos concelhos do interior alentejano já foram instaladas ou têm atribuída licença de exploração para novas centrais solares em áreas protegidas ou agrícolas.

Foto
Miguel Manso

As centrais solares fotovoltaicas projectadas para a região do Alentejo “ameaçam a Reserva Ecológica Nacional (REN) e podem agravar as emissões de dióxido de carbono se forem colocadas em locais inadequados”. O aviso foi lançado em 2017 e reiterado em 2020 pela Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável”. Mas o avanço destes parques energéticos não tem parado e até final de 2021, o distrito de Beja terá mais dez novas centrais fotovoltaicas, Évora quatro e Portalegre três.